As máscaras estão caindo

Foi Bernardo mesmo. Que pena. Estava na esperança de não ter sido ele o autor do roubo. Me surpreendi em Júlia acoberta-lo, mas acho que ele merecia um voto de confiança.  Agora, B tem problemas maiores para se preocupar. Porque pelo visto Durval além de viciado em jogo é mau caráter. Dizer na lata para a mãe que o cara está enganando e usando o dinheiro dela não adiantará. Acho que ela nem irá considerar a possibilidade.

Marlene se comporta como uma adolescente descobrindo a amor. Pura inocência. Não como uma mulher calejada e vivida como deveria ser pela história que tem. É claro que ela pode (e deve) viver um relacionamento, não é sobre isso que estou falando, me refiro ao comportamento que beira a babaquice.

Veja Irene. Ficou cega também por causa de Vinícius, deu de mão beijada idéias para uma campanha importante,  deu chilique porque ele trabalhava muito (Oi?!), mas nos últimos minutos da prorrogação a velha Irene tomou as rédeas da sua vida. Ainda está abalada, mas sobreviverá. Foi firme na decisão de colocar o cara para fora e no que disse. Agora, como se não bastasse teve a cereja do bolo. Encontrar com o ex feliz e contente com o enteado. Dose, viu?!

Pelo que estou notando todo esse dramalhão é para Irene se tocar do que é realmente importante (sei que isso é relativo). Ter uma família (ser mãe pelo menos). Vamos vê a reviravolta dela. Será que seguirá a linha de Taís? Abrir mão de tudo e recomeçar do zero? Dessa forma me agradaria mais. Até mesmo para tirar a impressão que tive de ter sido castigo.

Mudando de núcleo, escreva o que estou dizendo. Miguel vai acabar infartando Lauro. kkk O cara morre e depois aparece para o amigo. Bú! Depois se manda, diz que nunca mais voltará e blá blá blá. Um belo dia… Bú! kkk Coitado de Lauro. Ainda bem que é casado com uma terapeuta. Assim mantém o emocional em ordem. Esse retorno de Miguel por conta da morte do pai só mostra que está insustentável manter essa história “tô morto”. Vai fazer terapia e se se tratar, rapaz. Lembre-se que já comentei que vc tem uma renca de filhos para ajudar.

Por falar em ajuda, Júlia e Laila estão tentando mostrar para Elisa a importância da viajem para Tóquio. Antes quero abrir um parêntese. Gente, tenho que admitir que fico louco com a passagem de tempo dessa novela. Já tem seis meses que Laila deu uma cinzeirada no tarado? Então tem uns dois anos que Pedro foi para Noronha? E nunca mais voltou para visitar o povo? Eita que estou perdidinha.

Bem, voltando, a prima de Júlia até quer ir, mas por causa da mãe está insegura. Só que a conversa sobre a ida para Tóquio entre mãe e filha não foi produtiva. Elisa deveria ter se detido a falar da importância do apoio da mãe para sua vida, mas que agora precisava andar com os próprios pés. E sinalizar as partes práticas. Que trancaria a faculdade, ganharia uma grana e em seis meses estaria de volta. Mais não, foi falar em “recupere sua vida”, “se arrume”, “se aposentou da vida”… aí, meu bem, irritou a mamãe. Agora é esperar uma próxima oportunidade.

Foto: Arthur Meninea

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *