A disputa começou

Com tantos capítulos atrasados tive que apelar para maratona Sete Vidas (esse post não inclui o capítulo de hoje). Imersão total. Muitas emoções e confusões. Para variar, Miguel optou pela zona de conforto e se picou. Sem olhar para trás. E o déjà vu ocorreu… Lígia e Vicente. Não rolou nada de fato, mas esses dois estão no maior clima. Num grude só. Convívio esse que não entra na minha caixola. A desculpa de estarem tão próximos (do parquinho ao sushi) é preencher a ausência de Miguel na vida de Joaquim.

Mas enganando o menino? Montando a família margarina? Para mim isso é pior do que a partida de Miguel (inclusive que se despediu e se explicou). É enganar. Eles não estão juntos. Não são um casal. Convivem bem e pronto. Já que a questão é amenizar a ruptura (que cá entre nós, não vi nenhuma alteração na pobre criança), é só Vicente continuar sendo o pai de sempre. Bem, cada um tem uma atitude para lidar com o filho. Aqui em casa nada de tapar o sol com a peneira. Tristeza, frustração, raiva… esses sentimentos fazem parte da vida.

Continuando em Lígia e Vicente, a conversa entre Irene e a irmã no capítulo de ontem me fez gritar com o Ipad. ELA NÃO AMA ESSE CARA, foram minhas palavras. 🙂 Como assim com o Vicente Lígia tem tudo que importa? Tudo bem que amizade, respeito e parceria são itens importantes. Mas que cabem perfeitamente numa amizade. Para o status casal, faltam alguns ingredientes. O amor, o desejo… Lígia fala do músico como se falasse de um irmão bacana com quem tem afinidades. Mas não de um homem com quem quer se relacionar. Isso não conta?

Irene nunca considerou o ponto de vista da irmã. Desde o início saí atropelando o sentimento dela por Miguel. Diminuindo. Não que seja por maldade. Muito pelo contrário. É por zelo, mas não adianta ter o mesmo discurso. Não deu certo com Vicente antes e não dará agora. Essa urgência por ter um marido irrita. Lígia uma vez disse para Miguel: “se permita ficar só“. Pena que ela não siga esse conselho.

Enfim, deixa me organizar para não esquecer pontos interessantes. O jeito é apelar para os tópicos. kkk

  • O que foi aquele sermão de Laila para Pedro? Gente, essa Laila é o must! Foi no ponto. Na ferida. Resumiu numa frase esse Pedro que vem se arrastando a vários capítulos. Gostei tanto que vou reproduzir: Pedro, você sabe o que é um buraco negro? É uma estrela que implode e não sossega enquanto não arrasta tudo que está em volta para dentro dela. (…) quanto estrago você ainda vai ter que fazer por estar morrendo por dentro? (…) O que é que falta para você assumir o que sente? E Viver! Viver as tuas escolhas, as tuas paixões, a tua vida… e parar de plagiar o teu pai. Uau! (com direito a negrito e a  video)
  • Felipe tomou ar e não comeu reggae. Júlia tentou colocar panos quentes, mas não adiantou. E ele está coberto de razão. Pedro que vá se tratar. A questão é que a cura para ele o argentino não vai gostar. Júlia.
  • E Irene se deu conta que cuidar da filha é mais complicado que uma conta “gigantesca” na agência. E como ela foi promovida a mãe, não tinha como deixar essa função em segundo plano. E de cabeça erguida optou por pegar um trabalho mais calmo e se dedicar a Dora. Até agora está feliz e satisfeita. A questão é que Diana tem rondado elas e isso é sinal de problema. Ela ainda pode mudar de idéia. E como fica a publicitária? Aí Jesus! Que situação complicada.
  • E a casa caiu para Isabel e Luís. Branca pegou pesado. Proibiu o pai de ver os filhos e escancarou o relacionamento de Isabel para quem quisesse ler. Nada de surpresa, neh? O mais grave é que ela acredita no que fala. Que o casamento não acabou, que Luís está confuso, que ela continua casada e que ele vai voltar. Outra que precisa urgente se tratar. Porque nessa seara as crianças estão sendo as prejudicadas.
  • A atitude de Isabel em sair do programa de rádio e se auto analisar foi bem acertada. Ela está entrando num campo novo. Precisa desse tempo… indeterminado. Luís também já teve uma reação; procurou o pai de Débora Bloch para resolver a questão com a ex. 🙂
  • E Elisa deu. Pelo que ela conversou com Júlia, foi bom. No final das contas é o que importa. O cara ser um cafajeste foi azar, mas pelo menos ela está se sentindo mais segura. Pelo menos, como ela mesma disse, o lado bom desse problema foi descobrir um novo amigo. Bernardo. Xiii se ele não sair desse status não vai conseguir nada com ela.
  • Mais uma vez Laila mandou ver. Encostou Júlia na parede quanto ao chilique ciumento de Pedro. “Você não vai começar a dar para trás, neh?”. Ô, Júlia, isso não é uma faculdade que você pode trocar do dia para noite ou um carro que é só falar “encosta que vou descer” e seguir em frente numa boa. Abre o olho, menina. Uma observação: Pedro também era ativista, neh? Depois de Júlia ele parou de militar. Será que Felipe também vai ceder? kkkk
  • Ai que ódio de Marlene. O mesmo papo: eu queria ter conversado com você antes. Poxa! Ela que faz a linha correta não foi honesta com o filho (mais uma vez). Sem contar que poderia ter ido para um motel, neh? Por mais que o filho fosse chegar tarde, como não tinham conversado ainda… Vai quebrar a cara de novo.
  • Pedroca acionou o botão “ir atrás de Júlia”. Agora é torcer para que ela tenha discernimento e não caia nesse papo de novo. Ele fez uma promessa que não cumpriu, fez uma escolha (que não foi por ela) e seguiu a vida dele. Agora quer voltar atrás como se o tempo não tivesse passado? Surge do nada com um “vamos conversar?”. E pronto?! Mas o amor é fogo. E se esse sentimento por ele ainda existir, a escolha do passado vai para debaixo do tapete.
  • Foi impressão minha ou Júlia disse um “eu te amo” para Felipe? Opa! Isso pode até mudar mais para frente, mas nesse momento vou comemorar. \o/
  • Depois de muito tempo Pedro teve uma atitude corajosa e colocou um ponto final na farsa que estava sendo sua vida. Chamou Taís para conversar e disse que retornaria para o Rio. Para suas paixões. Até aí tudo bem. Mas precisava dizer com todas as letras que iria atrás de Júlia? Já estava subentendido. Ô, Taís, não fica assim não. Se você fizer parte da panelinha que está doida por um marido, quem sabe Estevão não oferece um ombro amigo?
  • Essa autora é danada, viu? Os diálogos são de arrepiar. Júlia conversando Elisa… Lígia com Marlene…. Esther com Luís… esse é o ponto forte da novela.
  • Essa ex namorada de Arthurzinho é uma comédia, viu? Já vi que dessa vez a coisa vai desandar.
  • Eu fico abismada como o pessoal é centrado na hora de terminar um relacionamento. Não rola quase baixaria de jeito nenhum. A pessoa pode admitir que ama outro alguém, que o indivíduo saí sorrindo e dando beijinho no rosto. Bege!
Foto: Isabella Pinheiro

 

 

 

Comentários

comentários

2 comentários em “A disputa começou”

  1. Os diálogos dessa novela são fantásticos. mas cá entre nós, será que alguém contabilizou quantas vezes a frase “será que a gente pode conversar” foi dita nessa novela? #adorosetevidas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *