O sumiço

A semana morna já ficou para trás. O que foi aquele capítulo de ontem, minha gente? Quem tem filho com certeza sentiu um aperto no peito. Basta uma piscada para a merda acontecer. E a produção conseguiu passar muito bem a angustia e sofrimento de Miguel. Aquele abraço em Lauro..afff…me acabei de chorar. 🙂

É algo que poderia ter acontecido com qualquer um, mas no primeiro momento o ímpeto é de acusar e querer matar a pessoa responsável pelo lapso. Entendo que não deve ser fácil você pegar o telefone e avisar “perdi o moleque”, mas Miguel deveria ter atendido a primeira ligação de Vicente e falado. Aguardar um pouco mais para avisar a mãe tudo bem, afinal ela estava longe. Vou te contar uma coisa, a rede de apoio de Miguel é boa, viu? O que falar de Lauro? Cara parceiro mesmo. Já disse aqui e repito, sou fã.

Agora, como fica a cabeça de um cara que já se acha tóxico pelo passado que tem, vivenciar essa experiência? O encontro com dona Cida com a consequente perda de Joaquim só comprova que Miguel não pode mais adiar essa questão do passado. Tem que se tratar. Se curar.  Para seguir em frente. Voltando a cena, pensei que o oceanógrafo iria infartar. Ele é um bom ator, viu? Virei fã quando o vi atuar em Cordel Encantado. A sutileza na mudança entre o Miguel leve e o Miguel com o mundo nas costas é louvável. Gosto dele.

E Vicente? Que desespero para esse pai também, ainda mais que Miguel não avisou logo. Pelo ocorrido – e pelo soco que ganhou – ele vai lutar com unhas e dentes para ser o pai oficial de Joaquim e manter o pai biológico longe. A forma que ele avisou para Lígia foi cruel, mas é compreensível. Afinal, ele realmente acha que a culpa é dela.

Lígia tem que entender que isso poderia ter acontecido com qualquer um. Não acho justo crucificar o cara ou proibir ele de ficar com o filho. Mas conhecendo Miguel, ele mesmo vai se julgar e se condenar; e como punição vai se isolar num barco mar a dentro. Só uma observação: ainda bem que Pedro estava em Noronha; porque – como comentou uma amiga – se ele estivesse no Rio iria bater no pai irresponsável antes de qualquer coisa.

Mas ontem a emoção não foi só por conta das buscas por Joaquim, a história de Lúcia também é tocante. Essa autora é flória. Quantas questões esses personagens vivem. Tudo a flor da pele. Não é uma decisão simples abrir mão da herança. Por um lado ela não aceitar é coerente com o contexto que ela narrou, mas Esther fez pontuações importantes. Inclusive, que a herança pode ajudar a ONG e consequentemente muitas pessoas que o organização ajuda.

Como ela mesma já falou, o pessoal e profissional bem misturado. Acho que um passo importante é ela procurar o filho. Mesmo já tendo um sinal que não será fácil, já que foi o advogado que informou sobre a morte do ex marido. É, Lúcia, não esqueça que a vida é orgânica. As coisas mudam. Força!

Rapidinhas

  • O pai biológico de Júlia veio com aquele papo me fale um pouco sobre você e blá blá blá, para depois soltar uma bomba daquelas? Comprar o silencio dela. Punk! Eu fico pensando, como não se sensibiliza, neh? Olhar nos olhos de uma filha crescida, que te levou um mimo, que é independente, que se interessou em conhece-lo… pelo menos agora ela afasta esse fantasma “de onde eu vim” e segue seu caminho ao lado da família escolhida. E claro, com o fofo Felipe. 🙂
  • Dona Cida ressurgiu das cinzas. E o que ela queria? Que Miguel abrisse mão da herança para ela. Não sei não, mas não fui com a cara dela.
  • Júlia e Pedro. Cada um seguindo um caminho. Espero que quando esses caminhos se cruzarem cada um esteja bem resolvido. Ele com o filho e Taís. Ela com Felipe. Amém!
  • Elisa está num momento crucial. De escolher o caminho que quer seguir. Ela sempre demostrou que a opção por modelar era para ajudar a mãe; e o que ela queria mesmo era a medicina. Só que as coisas estão mudando. Se por um lado ela tem Bernardo trazendo ela para Terra, do outro tem Valentina apresentando um mundo glamoroso. Ela não vai poder ficar em cima do muro.
  • Quem acertar o restaurante que Lúcia e Esther foram jantar ganha um doce. o/ Deve ser cansativo trabalhar nesse lugar, viu? Porque é um tal de trocar cadeira, mesa… agora, imagina isso num lugar que fica aberto o dia todo? kkk
Foto: TV Globo

 

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *