A um passo das sete vidas

E Miguel leu os diários. Eles foram mais importantes e menos dramáticos do que eu imaginei. Importantes porque resgataram uma memória esquecida por Miguel. A do filho amado pelo mãe. E menos dramático porque imaginei que teria algo sobre a vida sombria do pai. Adorei a cena (longa inclusive) entre a conversa dele com Júlia. No final das contas ela que não é filha de sangue é a que se tornou mais intima. E que continua sendo o anjo dele. Porque foi através dela que Pedro deu o braço a torcer e foi tentar abrandar o rancor pelo pai biológico. Não apenas isso. Ele falou em convivência; apesar que para Vicente ele largou a frase: “não que eu queira ter qualquer tipo de convivência com ele”… Oi?! é um frouxo mesmo esse rapaz. kkkk

Repararam que mesmo sem querer Pedro é fofoqueiro? Coitado de Miguel. Chegou a ficar sem ar. Agora complicou de vez. Porque só partindo de Vicente para ele ficar com Lígia. Ele não vai querer se indispor com o filho novamente. Por falar em se indispor, e Arthur? Sabia que Virgínia não iria me decepcionar (pelo menos por enquanto). Já deixou as malas na porta. E o cara de pau choramingando perguntou para onde ele iria. Se eu fosse ela falava: para as assas de sua mãe. Pelo menos o mistério foi resolvido. Ele teve mesmo um caso com Olívia. Não era algo tão óbvio porque essa novela tem uma passagem de tempo muito louca. E o emprego? Ele perdeu também? Se perdeu aí é que ferrou de vez. Já estou vendo que vai sobrar para Vicente. Apesar que agora ele saiu do modo “pago para não me estressar”.

E ontem tiveram várias DRs. Além de Miguel e Pedro, um casal que entrou no samba foi Eriberto e Marta. Pelo jeito a convivência com Esther e Laila está deixando ele mais atento no que o faz feliz. E tudo leva a crer que essa felicidade não está em seu casamento. Ô, gente, Marta judia do coitada. Não tem nenhum cuidado com ele. Vai voltar para o rol das solteiras. Aí já viu, neh? Vão parar de convidar ela para os eventos. Um parêntese: eu achei que a personagem foi perdendo força durante a novela. Até  mesmo a ruptura dela com Júlia que eu pensei que seria mais explorada ficou no esquecimento. Uma pena. Porque ela está ótima e apesar de ser sacana é engraçada. Leve.

Voltando aos papos sérios – e as vezes tenso -, o que foi aquela visita de Caio? A mulher já está deprimida e lhe aparece na fuça um homem que escapou pelos seus dedos. Péssima idéia. E pelo jeito ela vai voltar para o vício. Afinal, ela é uma ex workahlic. Quem sabe o enredo que escrevi para ela não se realiza? 🙂 Outro que teve um papo tenso foi Luís. Branca já foi logo cortando o barato antes mesmo dele terminar a frase. Guarda compartilhada não! É, meu bem, se prepare, pois como ele mesmo disse, isso é uma realidade e ele tem direito. Qual será o fim de Branca? Não consigo pensar em nada para ela.

Isabel está indo no sentido contrário de algumas mulheres da novela. Não está desesperada por um parceiro. Achou um cara bacana, mas prefere curtir essa fase divorciada sozinha. Simples assim. Agora falta comunicar a Luís. E Lauro de rolo com Lena? Será que a terapeuta vai se incomodar quando souber? Será que existe chance deles voltarem? Como ela se deu conta que quer “aprender a ser só”, a novela bem que poderia “quebrar o protocolo” e terminar com ela feliz e realizada sem um homem a tiracolo. kkk

E no final das contas a atitude intrometida de Esther deu certo. Pelo menos um fio de esperança surgiu para a conciliação entre Lúcia e o filho.  E como a novela está acabando, Esther já está dando início ao seu desfecho. Pelo menos no âmbito profissional. Assumiu a ONG. Agora é aguardar para ver se vai aparecer algum par para ela. Será? Será? Falando em desfecho, até agora sem grandes dramas com essa ingestão de remédios por Elisa, neh? Estou achando um saco essa desculpa na falta de emprego da mãe para fazer essas maluquices. Tão adulta e madura, mas quando foi pressionada por Júlia não teve colhão para assumir o que estava fazendo. Tratou de mentir e inventar que Bernardo estava criando caso por causa do fora que tomou. Ô povo que gosta de uma conversa.

E a cereja do bobo, claro, foi o flagra de Felipe. Na moral, Júlia já está me deixando triste. Pelo caminhar da carruagem esse final não será surpreendente. Será água com açúcar. Ou melhor, Pedro com Júlia. Não que eu tenha me convencido 100% que a autora abriria mão do casal principal, mas sempre fica aquela esperança, neh? Mas não posso me desanimar. Afinal, apesar de está na prorrogação do segundo tempo, o jogo não acabou. \o/

Isso chamou minha atenção

Olhando para o arPor que quando uma pessoa nessa novela vai viajar, ao invés de dizer “tchau! Vou indo para o embarque”, tem que surgir a voz dizendo o número do vôo e pedindo para embarcar (quase sempre de imediato)? Chega ser hilário. Sem contar a cara de pastel que todos ficam quando olham para cima. 🙂

Foto: Raphael Dias

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *