O fim está próximo

Reta final de novela significa especulação adoidada e saudade apontando no coração. 🙂 Sem mais delonga, vamos aos tópicos sobre os dois últimos capítulos. E como sempre, nada de ordem cronológica. 😉

  • A vontade que tive foi dar um abraço em Miguel. Foi importante descobrir a verdade, mas que dureza ter a confirmação que o pai era um assediador. E os diário? Será que a mãe menciona esse comportamento do pai? Será que ele a ameaçava de alguma forma? Porque quando Miguel falou sobre ela, a referência dele era de uma mãe submissa. Essa revelação de Luzia tirou o oceanógrafo do torpor. Ele agora vai tomar posse da sua própria vida. Trocando em miúdos, vai conquistar os filhos e seu grande amor; que a essa altura estará com alguém. Não poderia ser mais pai de Pedro do que já é. 🙂
  • Só eu tive vontade de bagunçar aquele cabelo engomadinho de Miguel? Você fica mais bonito com o cabelo rebelde, rapaz. #ficaadica
  • Em paralelo a isso, a pamonha da Lígia se “medica” mais uma vez com o Vicentol. Quem aquenta? Bem, não vai adiantar nada. Porque uma coisa que aprendemos nessa novela é que fugir de amor só dá em merda.  Mas cá entre nós, que cansativo esse blá-blá-blá das amigas jogando Lígia para cima de Vicente. Poxa! Tudo bem que elas não aprovem a relação (que na visão delas é doentia) com Miguel, mas não precisa foçar a barra para que ela fique com o músico. Não quero ser repetitiva, mas não deu certo antes e nem vai dar agora. Mais uma vez Vicente vai sofrer.
  • O que foi aquele encontro entre Olívia e Virgínia? Como disse uma amiga: impactante. E foi mesmo. Mas esses dois estão merecendo um castigo. Muito injusto que eles continuassem nessa vida mansa na reta final da novela. Espero que Virgínia seja dura e mande ele catar coquinho. Olívia com aquele jeito de quem tomou um rivotril, ainda deu a entender que ela e Arthur são um casal. Juro que eu pensei que o rapaz iria largar o filho no chão.
  • Nada a ver Júlia ter ido atrás de Bernardo com Pedro. Ela mesma cria situações. Primeiro se oferece para ir e depois decide não falar com Felipe. E ainda vêm com essas: “pedir uma espécie de autorização para ajudar Bernardo?” (a questão aqui, fofa, não é Bernardo)… “não vou mentir. Vou omitir para ele não ficar preocupado”. Ai ai… E o tênis do lado de fora? Cheguei a rir. A mulher comenta que o lugar é perigoso e tal e mesmo com a casa em pandemônio o jovem se preocupa em tirar o tênis com lama para não sujar nada. ka ka ka Me poupe.
  • Pedro bom moço que é chamou Bernardo para morar com ele. Ou melhor, na casa do pai. Mais uma boca para Vicente sustentar. 🙂 Vai ver que ficou com dor na consciência depois de tanto aprontar com o irmão mais novo. Porque se uma pessoa “apanhou” de Pedro, essa pessoa foi B. Confesso que fiquei com dó de Marlene. Não deve ser fácil se dar conta que um filho tão novo já tenha essa urgência de sair de casa. E de besta Bernardo não tem nada. Argumentou muito bem sua liberdade. E Durval? Será que mudou mesmo ou é só papo?
  • Aníbal está dando o troco na mesma moeda ou está namorando mesmo? Tô achando que isso é treta.
  • E Elisa se achando a adulta do ano? Parecendo a vivida da cidade. Bernardo também passou por alguns perrengues, meu bem. Quanto a diferença da idade, não é tanta assim, vamos combinar. Pelo menos Bernardo não se fez de rogado e disse na lata: “não vejo diferença entre a gente. (…) Pra mim a gente é igual”. O fofo chorando, se abrindo e ela falando besteira. Tédio total.
  • Aquela cena mostrando Lígia, Vicente e Joaquim vendo vídeo da família feliz não me convenceu. Esse negócio de se apegar em momentos passados para decidir o futuro é um erro. Fiquei tão contente com o momento de lucidez dela quando puxou a mão, mas logo em seguida ela me desapontou. kkkk

PS: Obrigada, estagiário. Vi que não teve o capítulo de sábado por causa do jogo. 🙂

Foto: Raphael Dias

 

 

 

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *