Nó na cabeça

Putz! E essa história de Miguel? Não é à toa que o cara é tão perturbado. Perder a mãe de um jeito tão estúpido. Por não dá a chance ao pai de se explicar. Pilotar uma moto estando bêbado. Vê a mãe perseguindo ele e não parar. É claro que não foi planejado, mas essas atitudes levaram (indiretamente) a morte da mãe. Agora, como lidar com isso?

Pelo menos dessa vez ele contou a história completa para o amigo.  Será que algo mudou depois do naufrágio? Apesar que a postura de Lauro contribuiu muito. Cheguei a levar um susto quando ele estourou com Miguel: “eu tô de saco cheio.” É isso aí. Coloca ele no trilho, Lauro.

Não sei como, mas para Miguel tentar reorganizar a vida terá que mexer a fundo nessa ferida. Não vejo outra solução. Claro que estar cercado de amigos, familiares seria o ideal, mas como a terapeuta durona disse, tem que partir dele a solução. Por falar em amigo, e Lauro? Virei fã. Ele tem uma carinha de bobo, mas é tão gente boa, neh?

Sobre a decisão (mais uma vez) de Miguel em ir embora, é até compreensível. Afinal, ele se vê como algo podre. Eu só não entendo como é isso oficialmente. Porque para todo efeito ele está morto, neh? Será que tem que levar um tempo – já que não teve corpo – para ser dado realmente como morto? Será que ele está usando o cartão de crédito, documentos, passaporte… tudo no nome dele?

Resumo Express

  • Dei muita risada com a cara de Júlia entre Edgar e Pedro se estranhando. A bichinha até tentou melhorar o clima, mas não deu muito certo. Ainda por cima levou uma chamada do namorado. Que de bobo não tem nada. Já deu até uma frisada que Pedro precisa entender que eles são irmãos. Eita que o clima esquentou.
  • Ôô e Vicente agradando a esposa? Que coisa mais fofa. Por que, senhor, a gente não manda no coração?! Pensando melhor… ainda bem que não mandamos.
  • Irene que é tão durona e prática não aconselhou a irmã a mandar a baba embora? Só falou para ela orientar a moça a não abrir a porta para estranhos? Nem acredito. Lígia, me ouça. Procura outra. 🙂

Isso chamou minha atenção

Jornal_erroE a manchete com a matéria sobre o encontro entre os filhos do doador 251? Cadê o editor desse jornal? O correto é “meios-irmãos”. Ô, produção, consulta o prof. Pasquale.

Foto: Raphael Dias

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *