Rapidinhas

Fazendo um rápido comentário sobre algumas cenas. Vamos lá:

  • Lindo demais a carta que Júlia e Pedro endereçaram ao pai biológico. Delicada e objetiva. Outra coisa bacana foi a preocupação da autora Lícia Manzo, que para dá veracidade a história, mostrou que a doação de Miguel foi feita via Estados Unidos, onde as leis do direito em saber suas origens se sobressaem as da doação anônima.
  • Sempre fico tensa nas cenas de ação em novela. Carro capotando, trem descarrilado, gente sendo atropelada, perseguição… vire e mexe tem um trabalho tosco. No naufrágio de Miguel tiveram pontos positivos. Mas a estabilidade do barco em meio a ondas de 12 metros (segundo o que o amigo dele informou) incomodou um pouco. Mas tá valendo. Só em ele dispensar o dublê ganhou um ponto 🙂 Ahhh e aquele telefone via satélite?! Só eu lembro de Antônio Fagundes quando vejo aquela “antenona”?! kkkk
  • Sacanagem da terapeuta amiga. Lígia na maior depre pós término e ela deixa uma mensagem na secretária falando do acidente?  Ô, Isabel, tenha dó. Escolheu o tratamento de choque, foi? Pelo menos ela pediu para amiga ficar calma.
  • Outra que mandou vê na dureza foi Elisa (Letícia Colin). Sobre o comentário de Júlia em a tia aceitar os maus tratos da irmã, a prima mandou na lata: ” para começo de conversa pra você tentar entender isso você deveria conhecer o que é falta de dinheiro.” Uôu! Mas ainda bem que com as amigas tudo se resolve.
  • E por último, o que foi aquela cena na igreja?! Toda uma ladainha para mostrar o quanto Júlia deve enveredar o caminho das artes e não a medicina? Tem coisa em novela que é um tédio. Só valeu para vê aquele macacão lindo que ela estava usando.
Foto: Google

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *