Rapidinhas

Fazendo um rápido comentário sobre algumas cenas. Vamos lá:

  • Pensei que iria rolar o maior quebra pau entre Edgar e Pedro… mas só um empurrãozinho 🙂 E nem foi nada demais. Pedro que é uma folha de papel de ofício. Por isso teve que enfaixar o braço. Agora, o cara tinha todo direito de ficar P da vida. Ainda bem que no final das contas Júlia amansou a fera e ainda ganhou tempo quanto ao pedido de casamento.
  • Gente, até eu me apaixonei por Marta. kkkk Toda trabalhada na sedução. Deixou o leiloeiro de quatro. Nada de vulgaridade, só na classe. E umas pitadas de mentiras 🙂
  • Depois do valor numa única compra que Irene fez, eu me pergunto: quanto ela deve ganhar?
  • Pelo jeito os meios-irmãos estão se entendendo. Laila já está próxima de Júlia. Que até contou o segredo do quase beijo com Pedro. Inclusive, pelo que a maluquete já demostrou já já essa história vem a tona. Ela não vai conseguir segurar a língua. Outro par que está se dando bem é Pedro e Bernardo. Espero que fiquem super ligados. Eles aparentam ser do tipo “irmãos de afinidades”.
  • O que foi aquele beijo de Laila? Não tinha nem clima para tal. Na verdade estava tudo errado. Primeiro que com um bebê como Joaquim que não dá trabalho nenhum, até o próprio pai poderia cuidar sozinho. Mas tudo bem. Vai que ele precisava de um respiro… eis que surge Júlia para cuidar do irmão. Até aí tudo certo. Então ela não pode ir e antes mesmo de consultar Lígia, combina com Laila para cuidar da criança? Só porque ela foi babá nos EUA? Não é assim que funciona. Você tinha que ter perguntado antes para a mãe. Agora, fico aqui na torcida que Vicente abra o jogo para a esposa.

Isso chamou minha atenção

Uma amiga compartilha desse mesmo sentimento… os nomes dos personagens são secos. Sabe?! Como se o nome não combinasse com o personagem. Irene, Lígia, Júlia, Elisa, Lauro, Luís… parecem não “casar” com as histórias dessas pessoas. Por exemplo, Vicente e Pedro. Personagens, nomes e histórias se completam. Estão integrados. Nesse caso combinam, mas a história de Lígia, suas características… não tem nada a ver. É como se houvesse um ruído. Não é fluído.

Foto: Google

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *