Sementes estão sendo plantadas

Esses três últimos capítulos foram mornos. Uma coisa aqui, outra ali que deram um up.

Vamos aos tópicos para explanar melhor.

  • Uma amiga comentou e eu concordo com ela. Quando Paolla Oliveira faz uma cena de chilique, ela dá conta. Mesmo assim não é nada huhuuu, mas dá para ver que está possessa por algum motivo. Por falar nisso, Melissa levou o maior sabão da madrinha. E a mãe como sempre debochando e avacalhando.
  • Dorotéia ainda não viu do que Felícia é capaz. Aquela aula tediosa de piano não terá futuro pelo visto.
  • E Raul dizendo para Gema que recusaria o convite da Condessa?! Acho que quando ele saiu da sala ela deu vários pulos e fez aquelas dancinhas ridículas de comemoração. kkk Ahhh que delícia esses dois. Já rolou clima mais intenso. Inclusive quando eles ficaram bem pertinho gritei de cá: beija, beija…. 🙂
  • Mas essa Lívia é danada. Negócio de ir atrás que nada. Depois de ter implorado pela ajuda do conde, sentou foi no colo dele para pegar carona. Toda provocante essa ex noviça.  Agora não entendo, já que ela estava disposta a mudar tudo por ele, mas ficou desapontada com o que Anita disse, porque não joga toda a história na cara dele? Ouve o que ele tem a dizer. Pelo jeito o benefício da dúvida não existia naquela época.
  • Ainda não entendi qual é a de Rosa. Esse segredo dela tem a ver com essa paixão do passado? Ou era Bento a paixão dela? Que homem horrível. Além de mal, ele gosta de futrico. Mas pelo menos Afonso deu um soco na cara dele. O pior que Anita ficou mais encrencada. Ela deveria ir embora. Se ainda tivesse um motivo para ficar. Por exemplo, se amasse Afonso. O que é uma pena ela não amar; porque além de ser um rapaz bacana, ele gosta muito dela.
  • “Mãe, eu não quero ter um marido rico. Quero ter um marido engraçado, bondoso igual ao seu marido”, isso aí Felícia, abre os olhos de Salomé.
  • Pronto! Pedro já se deu conta que sua doce obsessão é rica. E vai infernizar a vida dela para que reclame seus direitos.
  • Fico cá pensando com meus botões, qual é o sacrifício de tratar com carinho e amor uma criança? Melissa fica toda boazinha na frente do ex enteado, mas depois fica confabulando com a mãe que irá mandar o menino para longe. Coisa triste.
  • O povo só vive falando em Deus na novela, mas é aparecer um pobre coitado com roupas esfarrapadas para ser julgado de vagabundo. Cadê o amor ao próximo?
  • É difícil mesmo aceitar que Bernardo esteja vivo, mas que já tem material para deixar um pulga atrás da orelha isso tem. No mínimo para desconfiar que alguma coisa está errada.
  • Padre Luís é outro que aparece sempre na hora certa. De manhã cedo ou de madrugada… não tem hora para um servo do senhor. 🙂
  • Espero que Emília tocando bandolim não seja tão brochante quanto Melissa tocando piano.
  • Gente, Vitória é muito má. Acho que ela morre de inveja de Zilda. Porque a governanta tem o filho amado ao lado dela. Por isso, o que a condessa poder fazer para espezinhar o rapaz e atingir a mãe ela fará.
  • Meu coração gelou quando Bento ficou convencendo Chico a entrar na carroça. Depois que se tem filho tanta coisa muda. Que angustia MEU DEUS. Será que ele vai maltratar o menino? Deve ser só um susto, neh? Para Raul voltar.
  • Lívia entrar mata a dentro atrás do homem misterioso já não foi lá um plano bem pensado; agora, fazer isso durante uma tempestade…. isso já foi burrice mesmo.
Foto: Fábio Rocha

Isso chamou minha atenção

Em Sete Vidas eu me incomodava com os nomes dos personagens. Cheguei a escrever sobre isso. Era como se nome e personagem não se completassem. Nessa novela estou tendo essa mesma sensação, mas dessa vez com as músicas.  São tão desarmoniosas com as cenas. Às vezes fico com vontade de colocar no mudo e olhar só as ” figuras”.

Comentários

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *